Text

Sobre Campanhas de Conscientização

Sei que setembro já acabou (passou voando!), outubro já está quase no fim também… e eu acabei nem parando pra escrever sobre o #SetembroAmarelo – e agora já é #OutubroRosa!

Vi muita gente achando legal o Setembro Amarelo, mas também vi gente criticando. Aí eu decidi que tinha que escrever, antes tarde do que nunca =P

 

Por que essas campanhas são importantes? Antes de começar a dizer, quero deixar bem claro que vou falar da minha opinião e do que já aprendi, sem ler nada no google (ou quase nada), então posso até falar alguma coisa desatualizada ou não mencionar algo mais relevante. E quem tiver mais a contribuir, por favor, posta nos comentários que é muito importante! 🙂

O Outubro Rosa começou faz tempo. Antes tinha até aquela campanha do Câncer de Mama no Alvo da Moda (alguém sabe que fim levou, se ainda existe?).

O objetivo é trazer conscientização sobre um câncer muito cruel, mas que pode ser mais fácil de diagnosticar, e em fase mais inicial que outros tipos de câncer mais internos. O problema era os exames serem muito caros, doloridos, e ninguém falar sobre o assunto, porque, né, são seios, quem vai ficar falando disso, ou “se tocando”, né? Sim, esse preconceito ainda existe até hoje!

Desde então, muita informação já chegou, se espalhou e se atualizou. Os exames já estão mais acessíveis, o autoexame já virou rotina, e se não, mulheres, façam o favor de fazer SEMPRE, todo mês, toda semana, todo dia, não custa nada e não tem problema algum, é você mesma, seu corpo! Já se sabe que prótese de silicone NÃO CAUSA câncer, e pode até ajudar num diagnóstico mais precoce, se a pessoa fizer os exames de acompanhamento com frequência.

Sendo assim, os casos estão sendo descobertos cada vez mais cedo, o que aumenta as chances de recuperação. Mas ainda existe casos que são mais complicados e só descobertos com o câncer mais avançado e o tratamento fica mais difícil. De qualquer forma, na maioria das vezes ocorre a mastectomia, que é a remoção do seio afetado, e que pode acabar sendo uma cirurgia muito drástica, em que não sobra tecido para reconstrução. Mas até esses casos estão ganhando mais atenção, e as vitoriosas mulheres que chegam nessa etapa, estão cada vez mais bem preparadas e apoiadas por outras mulheres e seus familiares.

Ainda assim, muitas vezes as mulheres, familiares e amigos só se conscientizam de que o câncer pode atingir qualquer um, quando já aconteceu algum caso bem próximo. Qualquer um mesmo. Ninguém está imune, não é só genético, ou hábitos bons ou maus. O câncer não escolhe sua vítima, mas a prevenção existe, e é por isso que o Outubro Rosa está todos os anos acontecendo: para que em todos os outros meses do ano as mulheres lembrem disso e se cuidem.

Não parece difícil, né? Graças à essa campanha de conscientização.

Agora, imagina o turbilhão de sentimentos e pensamentos que passa na cabeça da mulher que recebe esse diagnóstico. Nem vou dar exemplos, pois acho que nunca vou conseguir compreender ao todo. Todo mundo associa câncer à morte. E quem quer descobrir um câncer em si mesma? Ninguém, né? Isso é o que provavelmente ainda faz com que muitas pessoas não pensem em fazer o autoexame. Mas é melhor fazer e nunca descobrir, do que não fazer e acabar descobrindo tarde demais, né?

 

Bom, existe também o #NovembroAzul! Sim! Já ouviram falar? Pra conscientizar principalmente sobre o câncer de próstata, mas em geral, sobre a saúde masculina.

Normalmente, os homens não se cuidam tanto quanto as mulheres, por diversos motivos. Medo, preguiça, excesso de confiança, não querer parecer vulnerável, preconceito, enfim. O tabu em torno do exame e próstata é gigantesco, e acaba que muitos homens ainda morrem por isso, e suas famílias e pessoas amadas sofrem junto com eles nesse processo, que podia ter mais chances de tratamento se tivessem descoberto à tempo.

Essa campanha ainda tem muito chão pra chegar no nível de resultados do Outubro Rosa, mas o que importa é que ela existe e está crescendo a cada ano, e a conscientização está aumentando.

 

Até aqui falei sobre câncer. Uma doença maligna, que mata mesmo sem dó se não for tratada, e muitas vezes o tratamento é tão pesado quanto, e ainda existe a incerteza de dar certo. Mas e o #SetembroAmarelo? Do que se trata?

Pelo que vi, essa campanha começou esse ano, e ela traz a conscientização sobre o suicídio! Por que ela é importante? Porque obviamente, o suicídio… MATA! E muito! Mas o mais difícil é falar sobre o assunto, então que bom que existe o Setembro Amarelo.

Pouco se fala sobre a depressão, não é uma doença física como o câncer, é bem mais difícil de diagnosticar, de tratar. E ainda existe todo o preconceito de quem não entende, e todo o tabu de se falar a respeito, envolve crenças, opiniões. Ninguém vai questionar um diagnóstico de câncer. Todos sabem que ele mata, e rápido, se nada for feito, e com isso não se brinca.

Então vamos encarar a depressão como um “câncer na alma”, que se não for tratado, pode levar ao suicídio. E assim, o Setembro amarelo vem trazer conscientização sobre a prevenção ao suicídio. Sabiam que é possível sim prevenir o suicídio? Existem tratamentos de vários tipos que podem ser usados, mas o principal é existir o apoio das pessoas em volta da pessoa atingida.

Quem achou a campanha ruim, por achar que a atitude das pessoas que queriam aderir estava banalizando, não pensem assim. Estamos começando a criar um espaço pra falar mais abertamente sobre o assunto, nem todos ainda sabem de fato como agir e como ajudar. Mas já vi que muitos entendem que não é frescura, não é fraqueza, que não é fácil.

Acredito que essa campanha vai trazer resultados tão bons quanto os do Outubro Rosa. E tem potencial pra ajudar de fato! Por isso, vamos abraçar a causa, pois ninguém imagina o quanto os casos de depressão tem crescido e piorado ao nosso redor, simplesmente por ainda não existir muito espaço pra se procurar ajuda sem julgamento.

A vida já é muito difícil, ainda mais pra quem tem depressão. Não vamos piorar só porque “não queremos acreditar”. Pode ser que você já tenha passado na vida de alguém que tentou suicídio e nem saiba. Pode ser que você tenha tido a chance de fazer a diferença na vida de alguém, e nem saiba. Ou até tenha convivido com alguém que conseguiu se suicidar. Ou você é alguém que já tentou. Isso não precisa mais ser um assunto “místico” e rodeado de superstições. É uma doença também, e devemos encará-la assim, e ajudar quem precisa de ajuda, mas temos que aprender como ajudar de verdade.

 

 

Quem ainda não passou por nenhuma dessas experiências, nunca vai saber como é ter que lidar com elas. Pode ser que no máximo, as pessoas queiram ajudar compartilhando informação à respeito, coisas que nem elas sabiam, mas que aprenderem por estarem sendo expostas às campanhas de conscientização.

Mudar a cor da foto no perfil pode não mudar nada. Não cura o câncer, não impede o suicídio de acontecer. Mas é uma forma da própria pessoa sempre se lembrar da consciência que ela está criando. De se informar e de criar mais um espaço para se falar no assunto. Pode parecer bobo, mas ajuda sim! Mostra pra todo mundo que ainda acha que está longe dessas situações que tem cada vez mais gente consciente e buscando trazer alguma melhora pro mundo. Nem todos sabem como ajudar de forma mais prática, nem todos tem condições de se engajar em alguma causa com afinco. Mas pensem, pelo menos não estão atrapalhando, não estão piorando. Não sejamos negativos, toda ajuda, que ajude de fato, é bem vinda, por menor que seja 🙂 Melhor do que não fazer absolutamente nada!

E que mais falam, que não deve ser apenas um mês por ano, mas o ano todo – acaba, aos poucos, se tornando consequência 😉

 

Ana, sobrevivente de câncer de mama, fotografada pela Salt n Sugar Photography <3

Ana, sobrevivente de câncer de mama, fotografada pela Salt n Sugar Photography

 

Seguem links interessantes:

Afinal, para que serve a campanha Setembro Amarelo.

Infográfico no Facebook.

Projeto Cores que Acolhem.

Advertisements

Happy Teacher’s Day!

Nem todos sabem, mas fui oficialmente professora por muitos anos. Enquanto a maioria das crianças brincava de casinha ou de escolinha, eu brincava mais de banco, pois eu era filha de bancários. De repente, lá estava eu, em meu primeiro emprego, ensinando com apenas 17 anos.No começo achava que tinha caído de para-quedas, mas novamente, quando me dei conta… estava mais envolvida do que podia imaginar. Me encantei, me apaixonei, e vivi um longo relacionamento, que passou por todas as fases que um relacionamento humano pode passar, eu acho.

Hoje não trabalho mais em classe, mas jamais vou deixar de me sentir e me assumir professora, minha primeira profissão na vida, que me influencia em tudo até hoje, e que até hoje ainda exerço, mesmo que em menor tempo. Nunca paro de aprender, e muito menos de ensinar.

Foram anos incríveis e que com certeza me fizeram quem eu sou agora, e vão continuar fazendo parte da minha história, com muito orgulho. Conheci muitas coisas, lugares e pessoas. Devo muito do que sei e faço à essa experiência da minha vida, e sou muito grata por todas as oportunidades que tive de poder vivê-la, e quero continuar vivendo!

Essa profissão me escolheu, e nunca mais saiu do meu coração ❤

 

Pra todos vocês que já fizeram ou ainda fazem esse nobre trabalho… Feliz dis dos professores!

 

Parabéns a todos os colegas professores, vocês são indispensáveis e cruciais para a humanidade!

Continuem firmes e fortes, mesmo com a falta de reconhecimento e remuneração.

Perseverem! A função de educar para o mundo, de fazer o conhecimento entrar nas cabeças, dar frutos e poder mudar toda uma geração, uma história, está na mão de vocês.

Não desanimem, continuem assim e um dia, alunos, familiares, patrões – todos irão aprender o quanto essa profissão é valiosa e merece ser respeitada e elevada. Sem ela, nenhuma das outras profissões seria ensinada com sucesso.

Parabéns por tornarem uma aptidão em paixão, qualquer situação em lição, e qualquer lugar em sala de aula.

A evolução só acontece com o trabálho árduo e a dedicação de vocês, que de cabeça erguida travam a guerra mais pacífica de todas…

 

Um dos meus momentos que fizeram tudo valer a pena :)

Um dos meus momentos que fizeram tudo valer a pena 🙂

 

Happiness x 7!

Mais um aniversário de casamento!

São 7 anos juntos, isso merece um post aqui no blog! Bodas de Lã =D

A cada ano eu sempre deixei registrado, seja no blog antigo, no facebook, no instagram e até aqui. Nos primeiros anos nos dávamos cartão quase todo mês, e a frequência foi diminuindo… Mas também pudera, o estoque de cartão em casa já estava ficando difícil de guardar! haha

O que importa é sempre relembrar o quanto esse dia é importante. Mesmo com os problemas do dia-a-dia. Mesmo com as dificuldades de se ter uma empresa juntos. Mesmo com os medos, inseguranças. Mesmo com tudo. Porque também todos os dias, não deixamos faltar beijos e abraços. Bom dia e boa noite. Coçada e massagem nas costas. Comer juntos. Falar “eu te amo”. Mesmo se der preguiça. Mesmo se estiver com raiva. Mesmo com tudo. Não pode faltar.

7 anos e estamos aqui! Ufa! Parece bastante, né? Mas quando paramos pra pensar… parece que essa jornada começou ontem mesmo, e até esquecemos dos pontos negativos que com certeza apareceram nesse tempo todo. Nem nos damos conta do quanto mudamos, e nos tornamos pessoas diferentes com o passar dos anos. Não porque exigimos um do outro, isso não funciona e só desgasta. Mas porque naturalmente vamos nos moldando um ao outro, aos poucos, ano a ano… e nos transformamos, juntos. Ficamos cada vez mais parecidos. Cada vez mais inseparáveis.

É isso aí, galera, casar é isso! É muito legal, recomendo! Mas não é pra qualquer um. E não é qualquer combinação que vai dar certo. Mas depende 100% do comprometimento dos dois envolvidos fazerem dar certo, dia após dia. Clichezão assim, mas é verdade. É sempre ter em mente o compromisso feito, seja através de documento ou cerimônia, ou o que valha. A consciência de que é uma vida inteira, uma pessoa, que está sendo depositada na sua mão, e a sua, na mão da outra pessoa. Acho que vai além de um estar apoiando o outro. É pular do penhasco juntos, com venda nos olhos, confiando que o outro jamais vai soltar da sua mão. Se um cair, os dois caem juntos.

Me perguntam muito quando eu casei “como estava sendo a vida de casada?”… Um dia eu falei pro Lucas que estava cansada de responder à essa pergunta. Ele falou pra eu responder: “está melhor que a de solteira!”, e com certeza está, infinitamente mais! Não me arrependo e sinceramente, nem consigo mais me lembrar de como era viver sem ele nos meus dias. Então, nem tenho do que sentir falta… hehe

 

Amo sim, de mais, e não tenho um pingo de vergonha de assumir isso! (Bom, não tenho vergonha de pedir a raspa do bolo, por que iria ter vergonha de amar, se eu descobri que é de verdade, né?! hauheuahe)

Termino pensando no quanto eu fico inspirada pra escrever sobre essa ocasião… A cada ano escrevo algo novo, nunca falta inspiração! Que venha mais um ano cheio de acontecimentos para nosso duo, nosso time de dois aqui experimentar… ❤

 

Love you, baby!

 

Foi mais um ano cheio de aventuras pra nós:

Oi! Como vai você?

Simples fazer essa pergunta: Como vai? Tudo bem?

Mas e a resposta? Sempre: Tudo bem! Tranquilo! Beleza 🙂

Será mesmo?

 

Nunca sabemos se podemos perguntar pra valer, e nunca respondemos pra valer. Um ciclo em que ninguém realmente se importa sobre como o outro está de verdade, ou achamos que quem pergunta não se importa, então, não vale a pena entrar em detalhes…

Será mesmo?

 

E aquela hora em que o que mais você precisa é dizer pra alguém exatamente como vai você? Alguém que queira saber, simplesmente por se importar? Quando será que isso vai acontecer?

Queremos ser ouvidos, mas quando também queremos ouvir?

Não é só sair falando, quando é que alguém vai chegar e perguntar, de verdade, como está você?

 

Você já fez isso por alguém?

E se alguém faz isso com você, como você reage?

 

Pode ter alguém precisando desabafar nesse exato momento, bem pertinho de você, seja fisicamente ou virtualmente. Você pode não ser a pessoa que ela esteja esperando que se importe, mas quem ela quer pode não estar nem aí…

Um dia essa pessoa pode ser você. E aí, como você vai fazer pra desafogar a cabeça, gritar todo o sufoco dentro do peito?

 

Nem sempre dá tempo de ir à fundo, mas também muitas vezes nem precisamos de ajuda alguma, apenas ser ouvidos. Sentir que existimos, que alguém mais nos percebe e se importa.

 

Da minha parte, podem ter certeza: sempre que pergunto é pra valer, pode parecer só cordialidade, mas se você conseguir responder diferente, eu vou sempre tentar te ouvir 🙂

Se você não conseguir mas precisar, não se acanhe. Diga o que vier, do jeito que vier. A falta de prática nos deixa sem jeito, mas não deixa mais pra lá.

Quem quiser um “ouvido” amigo, só me responder, de coração! E se puder me perguntar pra valer também, jamais vou recusar a oportunidade, também vou amar poder usar algo diferente da resposta básica, vazia, oca de sempre, com a qual nos habituamos.

Não vamos nos esquecer. Somos pessoas. Quero sempre sentir que precisamos uns dos outros.

Contem comigo. Puxem papo. Respondam aqui mesmo, até whatsapp (que todos sabem que odeio), sempre respondo. Se eu demorar, inbox no facebook costuma ser mais rápido =P

 

A vida já não é fácil, galera. Vamos nos apoiar! Vamos tentar deixar de lado o medo do que os outros vão pensar.

Eu não nego amizade, a minha sempre está à disposição, viu? 😉

 

E aí, beleza? O que conta de novo?…

Black & White Thinking

Engraçado perceber como no geral as pessoas só toleram que existam apenas 2 lados pra tudo na vida.

“Sim” ou “Não”

“Errado” ou “Certo”

“Fácil” ou “Difícil”

“Tudo” ou “Nada”

Muitos podem achar o meio-termo desprezível, coisa de gente indecisa, “em cima do muro”, ou até adjetivos mais profundos. Mas quem disse que só existem os dois lados, pra começo de conversa?

Só preto ou só branco?

Só preto ou só branco?

 

Diante de momentos complicados é ainda pior escolher um lado, quanto mais achar mais lados.

Se você não é do “A” você está automaticamente no “B” e não tem discussão, ninguém vai te ouvir.

Até quem antes não tinha opinião alguma se enche de argumentos pra tentar te convencer.

Mas o importante é tomar partido. É parecer informado, interessado, senão, quem é você, que espécie de ser é esse que não se importa, não se informa?! Credo!

 

Aí ok, você escolhe algo para se envolver, para compartilhar informação a respeito. Até aparecer alguém pra te criticar por ter escolhido essa causa. Sempre existirão causas melhores, mais importantes, problemas maiores, mais relevantes.

Claro que sim. Mas de acordo com a opinião e realidade de cada um. Ninguém consegue apoiar todas as causas. E se todos lutarem apenas por uma, o que seria das outras?

E quando se trata de situações sobre as quais não se tem muito à fazer?

Por exemplo? Bom, vamos mencionar a situação política do país no momento. Foi aprovada a primeira fase do impeachment.

Enquanto isso, o que podemos fazer? Alguém aí sabe me dizer?

Continuar nessas briguinhas pró e contra partidos e políticos? Discussões online? Por um acaso isso tudo tem servido pra alguma coisa? Assim, com sinceridade, qual vantagem isso tem trazido?

Os textos compartilhados, os posts cheios de fúria ou opinião, vão sempre atrair os olhos de quem pensar semelhante, e quem for contra vai, no máximo, ignorar, te deletar ou… vai lá comentar pra armar barraco. Resolve a situação do país? Traz mais informação pra quem está em dúvida? Muda a opinião de quem pensa diferente. Olha… não, né?

 

Surge mais um assunto na mídia. Todos vão dizer que é pra tirar o foco do povo do assunto principal. Mas e quando o assunto que surge já é antigo, e inclusive influencia diretamente no problema do país? Qual assunto? Feminismo.

Uma revista renomada e antiga, mas há muito com a credibilidade desgastada, publica um texto com cara de revista de fofoca. O objetivo por trás? Pode ser muita coisa, mas se tratando de mídia (e das mais parciais, diga-se de passagem), não vamos ser ingênuos. Coisa aí tem, com certeza.

É pra cutucar o fato de a presidente ser uma mulher completamente diferente da esposa do vice-presidente? É pra mexer com toda a luta das mulheres que estão se destacando na política, na mídia, no mundo afora? Trazer ainda mais divisão no povo? Quem garante.

Cada um interpreta o texto do jeito que quiser, e vai ter quem se manifeste de forma exagerada ou deturpada, aí quem não concordar vai contra-atacar, e voltamos à dinâmica atual da galera. Mas dizer que esse assunto não importa, aí não dá.

 

Mas e todas as outras cores?

Mas e todas as outras cores?

 

Pessoal, vamos abrir a cachola.

Não é briga de torcida organizada arquirrival.

Não é Montéquios versus Capuletos.

É todo mundo no mesmo balaio.

A solução? Não cabe a mim dizer, todos podem ter suas opiniões, mas vamos focar em levar ideias construtivas pra frente, ficar brigando com os coleguinhas não resolve nada, ok?

Demonstrar apoio a X, Y, Z, vai fundo. Mas vamos crescer um pouco com tudo isso, e deixar o partidarismo de lado, vai? Lutar por algo não significa lutar contra os outros que estão no mesmo barco que você, mas que estão lutando da forma que acharam melhor.

Vamos pensar antes, o que vai realmente fazer diferença? No todo, ou no mais “todo” possível?

E deixar de lado essas picuinhas e julgamentos, por favor.

 

 

(E caso alguém tenha se perguntado, sim, aqui está a razão pela qual eu não me manifesto muito sobre tudo isso.)

Welcome 2016!

Primeira semana de 2016! Já estava na hora de eu aparecer por aqui, né? hehe

Bom, pra começar, as ideias pra esse ano no blog.

 

Tem aquela ferramenta no facebook chamada “On This Day” que mostra pra você tudo o que aconteceu no dia em questão nos anos anteriores.

O mais legal disso é ver o que você pensava antes, o que aconteceu na sua vida, a forma que você reagiu, e sim, as promessas que fez (e quais ainda não cumpriu!).

Ano passado praticamente inteiro eu já acompanhei, e fico pensando o que vai sobrar pros próximos anos se eu já vi tudo. Mas é ótimo pra recapitular e reforçar o que ainda não foi feito.

Aquela lista de filmes pra assistir. Amigos que não com quem se perdeu contato. Receitas que foram compartilhadas mas nunca testadas.

E também é bom pra ficar feliz pelos conflitos que já foram vencidos e ficaram pra trás, e tudo o que passou e já foi conquistado, resolvido, realizado.

Então, pra esse ano vou aproveitar que é ano bissexto e dar uma outra cara pro #ProjectPositivity: é o #KeepUp366

Vou continuar focando nos pontos positivos de cada dia do ano, mas também tentando manter em mente o que já foi conquistado, ao longo do ano e dos anos já passados.

Nessa determinação por deixar menos coisas pra lá, e menos coisas por fazer, ou só na vontade. Chega do “um dia eu…”! Principalmente porque nesse ano eu, que em 2012 (no outro blog) já deixei meu posicionamento contra “indiretas”, esse ano vou me lançar numa “auto-campanha” contra coisas “da boca pra fora”. Que tal? heheh

 

Outra ideia…

Tenho 9 livros no computador pra ler. Quero conseguir ler todos esse ano e preciso de ajuda sobre como alcançar isso, visto que eu não sou uma pessoa muito disciplinada pra leitura! haha

Que tal?

 

E claro, continuar buscando mais novas experiências. Viagens, sabores, lugares, aventuras. E cafés!!! ❤

 

Então vamos começar 2016 por aqui, e dar um “start” por aqui logo de uma vez, que já tem muita coisa pra compartilhar 🙂

Siga para o próximo post, que já está aqui!!

 

One full year! – Revisiting 2015

Exatamente 1 ano atrás eu fiz o primeiro post desse atual blog!

Como já disse, já tive outros 2 blogs e parei, por falta de tempo, de leitores, e excesso de desculpas! haha

Mas escrever é importante pra mim, e pude constatar esse ano o quanto me faz bem. E se não faz mal pra ninguém, tá valendo, isso que importa!

Esse post agora tem muitos significados: 1 ano do blog, é o post de número 99 (e como ainda estou devendo mais um post e o ano só acaba amanhã… guess what!), o ano de 2015 foi uma doideira só, e eu ainda mantive o #ProjectPositivity firme e forte, escrevendo sobre os 365 dias do ano!

 

Então vamos falar de 2015!

Primeiro nascer do sol que vi em 2015

Primeiro nascer do sol que vi em 2015

Janeiro:

Passamos a virada do ano de uma forma diferente e especial: com a família de um casal de amigos muito queridos. Foi inesquecível ❤

Nos mudamos de casa depois de passar a última semana de 2014 pintando o outro apartamento. Foi uma loucura, e já começamos o ano moídos, cansados e cheios de hematomas e machucados! haha

O primo do meu marido veio nos visitar no dia que terminamos a mudança ainda! Haha Nos ajudou em tudo, muito querido! E ainda fizemos trabalhos diferentes já nas primeiras semanas do ano também.

Escrevi poesias aqui, fui nos últimos eventos do Kekanto em Curitiba.

Voltei a usar Peixe Urbano, reuni parte da minha turma de ensino médio.

Ah, e teve aniversário da Sugar! haha

 

Fevereiro:

Primeira selfie com 30!

Primeira selfie com 30!

Passeamos de barco pela primeira vez na vida!

FIZ 30 ANOS E ADOREI! Ainda tive um aniversário com 25 horas de duração 🙂

Provei hot dog com salsicha artesanal… hehe

 

Março:

Primeira vez vendo o Big Ben e a London Eye!

Primeira vez vendo o Big Ben e a London Eye!

Primeira viagem internacional do marido – primeira vez que vamos pra Europa nas nossas vidas, e já fomos pra Londres passar 4 semanas!

Além disso, conhecemos Paris e Dublin também. 3 Países numa tacada só!

Preciso dizer mais alguma coisa desse mês?! haha (Bom já saíram todos os relatos da viagem =D )

 

Abril:

Minha foto premiada no Festival Drink Good Coffee

Minha foto premiada no Festival Drink Good Coffee

Teve Festival Drink Good Coffee… Teve fotos pela cidade…

Teve casamento de uma amiga nossa de longa data e ainda fomos fotografar e fazer cerimonial!

E eu fechei 2 jogos no PS3 que fazia tempo que eu queria terminar!

 

Maio:

Doces após um evento do Yelp!

Doces após um evento do Yelp!

O Yelp entrou nas nossas vidas!

E o café que já fazia parte, começou a virar coisa séria: ganhei um dos prêmios do Festival Drink Good Coffee e decidi fazer curso de barista!

 

Junho:

Mega brownie do Café do Paço, onde fiz o estágio do curso de barista.

Mega brownie do Café do Paço, onde fiz o estágio do curso de barista.

Comecei o curso de barista! E já aprendi muito e conheci muita coisa nova – e antiga também, tive oportunidade de aprender até sobre a história de Curitiba e do país!

Teve o Primeiro Circuito de Sanduíches do Curitiba Honesta e descobri que existe cerveja boa sim… hehehe

 

Julho:

Aprendendo sobre cervejas!

Aprendendo sobre cervejas!

Aprendi muito mais sobre café ainda! E sobre cerveja também, tô aprendendo a gostar!

Mês do aniversário da Lilosa e do nosso níver de casamento.

Fotografei muito Tour Curitidoce! Tivemos Festa Julina do Yelp!

Entrei pro time de colunistas do Drink Good Coffee (e inclusive estou devendo aparecer mais por lá também!!) e fizemos nosso passeio de bike pelas cafeterias com o Kuritibike.

Só é uma pena que o frio mal começou em junho, e nesse mês só fez calor…

 

Agosto:

No bar de gelo na Argentina

No bar de gelo na Argentina

Começamos o mês já viajando pra Foz do Iguaçu + Argentina e Paraguay, seguindo o roteiro da Raphanomundo!

Finalmente comecei a fazer latte art nos cappuccinos… hehe E além dos eventos do Yelp todos os meses, nesse tivemos vários no Espaço Bom Gourmet.

AH! E eu não postei nenhuma foto, mas eu fiz mais 2 tatuagens pequenas no final desse mês! hehe E também fizemos um ensaio de gestante que ficou muito lindo =D

 

Setembro:

Tributo ao Queen na Ópera de Arame

Tributo ao Queen na Ópera de Arame

Ganhei um par de ingressos pra um show Tributo ao Queen, que foi bem no dia do aniversário do Freddie – primeira vez que nós assistimos a algo na Ópera de Arame! Vê se pode…

Teve a segunda edição de Coffee Week em Curitiba, e eu ainda fui fotografar uma edição do Tour Comida de Boteco e uma do Tour Curitidoce – Avelã.

Começamos uma parceria com uma academia – e assim voltamos a fazer exercícios!

E descobri o sabor dos bolos no pote! =D

 

Outubro:

Café <3

Café ❤

O mês mais cheio de trabalho do ano! \o/ Num desses eventos conseguimos até tirar uma fotinho nossa na cabine de fotos!

Conheci e fotografei a inauguração do My Closett em Curitiba, que trouxe o conceito de aluguel entre amigas.

Fotografamos mais comidinhas por aí!

Esfriou, esquentou, Curitiba 🙂

Tivemos um evento do Yelp só de café! E rolou o primeiro “Encontro das Canecas”, com a galera parceira do café e do Drink Good Coffee.

E conheci pessoas incríveis, empreendedoras queridas, muitas parcerias, tudo graças ao Clube da Alice, do qual já faço parte faz… meses! hehe

 

Novembro:

Ilustração da minha história! <3

Ilustração da minha história! ❤

Teve Halloween do Yelp, e eu virei uma caveira mexicana! hehe E conheci o lindíssimo Espaço Hoy!

PULEI DE BUNGEE JUMP!!! \o/

E assistimos a todos os Hunger Games de novo, pois o último… já está no cinema!

Eu escrevi uma história da minha vida e mandei pro Clube da Alice, e minha história foi uma das 12 escolhidas pra ser ilustrada pela Live to Tell!

Ganhei meus pezinhos de café do Pé De Café e plantei meu primeiro pé de café da minha vida 🙂

Rolou a segunda edição do Circuito de Sanduíches, e ganhei (também através do Clube da Alice) uma hidrataçao capilar!

Provei pela primeira vez o Kurtos Kalacs… E conheci por dentro a Vila Militar de Curitiba, filmando um casamento que rolou lá dentro. Teve até ensaio com os noivos no hangar do aeroporto do Bacacheri!

Ah, e a página da Echos atingiu 2 mil curtidas!!!

 

Dezembro:

Mockingjay Final Combo...

Mockingjay Final Combo…

P. S.: Contém spoliers do #ProjectPositivity de amanhã (hoje)!

Terminei todas as pendências aqui no blog (pelo menos relatos de viagens!)

Época de comemorar o ano já, festa do Clube da Alice e bazares com as empreendedoras que conheci.

Assistimos ao Hunger Games final no cinema, agora acabou! =/

Visitei um sebo novo, fui num bazar dentro do Castelo do Batel, fotografei um chá de panela, conheci o Palacete dos Leões.

E mais reunião com amigas do Clube da Alice! hahah Comprei presentinhos de fim de ano com elas, aromatizadores de ambiente, chocotone recheado delicioso… Fui conhecer seus estabelecimentos, fui em inaugurações, muitos contatos tão legais!

Teve amigo secreto do Yelp, festa de encerramento muito boa, e aniversário do marido, que eu fiz bolo pra comemorarmos com amigos numa hamburgueria.

É… assistimos aos Star Wars que estavam faltando – pelo menos pra mim – pra depois irmos no cinema ver o Episódio VII… Ano passado tínhamos visto o I, II e III, agora foi os mais antigos. Adorei todos! hehehe

E… Estou com um projeto novo e eu ia começar virando o ano, mas… meio que já comecei, mas só vou divulgar tudo ano que vem! haha

(E vou deixar o resto pro post de número 100!!!)

 

2015 – ano louco, muitos estão implorando pra ele acabar. Teve crise, teve muito problema. Mas isso tudo está aí pra quem quiser ver, nas notícias. Tocamos a Echos com a cara e a coragem, um ano inteiro em que nos dedicamos somente à nossa empresa. Inclusive, até aprendi mais a usar o Photoshop!

Conhecemos 5 países! (Contando com o Paraguai, tá? hehe) E vimos o quanto conseguimos ir muito além da nossa zona de conforto a ponto de perceber que não era tão confortável assim, era só preguiça e medo mesmo.

Eu aprendi muito com esse #ProjectPositivity. Não me fechei pra oportunidades, alcancei mais que podia imaginar.

Foi um ano em que, pra começar, eu experimentei muita coisa nova, mas principalmente, não me fechei pra coisas que eu não gosto. Sim, tô falando de comida!

Por causa do Curitidoce eu comi coisas que eu não gostava e aprendi a gostar: de cookie de chocolate com gengibre, não que eu vá gostar de gengibre, mas com chocolate no cookie vai bem! hehe E teve chocolate com gorgonzola, salgado e doce que eu não sou fã, e curti também.

Por causa do Yelp eu comi bruschetta com pimentões! Hahaha Não pretendo repetir a experiência, mas posso dizer que comi e sobrevivi! hahaha Tomei vodka pura também, o bom que era de ótima qualidade!

Por causa do Clube da Alice eu comi uma sopa com linguiça blumenau e adorei… E comi até pão doce cheio de frutas cristalizadas! Mesma coisa que o pimentão em termos de experiência, mas como era pão doce, eu curti mais… hehe

E já por causa do meu projeto novo, que mal começou, eu já comi pastel de banana! Tá, por causa da Echos, comi uma banoffee de chorar também, e digo que é a melhor que eu comi e essa eu repito sem medo! hehehe

Descobri inclusive que eu consigo gostar de 2 coisas que eu sempre odiei: tomate e palmito! Mas tem que ser tomate quente e palmito daquele assado 9eu achei quem vende e aprendi a fazer!) – não me chama de fresca, pelo menos é uma forma que eu como essas coisas feliz! hahaha

Tudo o que eu me propus a fazer como pessoa, como mudança de mentalidade e de forma de viver, eu fui atrás. Muitas coisas eu consegui e me sinto muito bem, algumas ainda não conquistei, mas pelo menos já dei passos em direção.

Não vou mais me rotular, e nem rotular ninguém. Desconstruí muitos preconceitos e muitas mentalidades que não me levavam à nada.

Perdi o medo em muitas coisas, reconheci que ainda tenho que perder em outras. Estou mais tranquila comigo mesma. E quero ajudar outras pessoas a ficarem assim também.

Pro próximo ano?

Pretendo continuar a ver o positivo em cada dia, me fez muito bem. Talvez eu mude alguma abordagem, mas foi muito legar ter feito isso esse ano, sinceramente não vejo porque parar! hehe

E quem sabe eu consiga incluir um objetivo gastronômico, pra expandir meu paladar mesmo, porque não. Já é algo que eu gosto de fazer, e estou aprendendo a explorar mais…

Só sei que me deu muita alegria reler meu post de 1 ano atrás. E é isso que eu quero pra mim e pra todo mundo – recaptular o ano que está acabando e sentir satisfação, gratidão. O tempo passa de qualquer jeito, então vamos tirar melhor proveito disso!

 

E é isso aí! Já virou dia 31 mesmo… dá nada!

Mais uma vez agradeço a todos que me acompanharam, continuem por aqui que em menos de 24h vai sair um post novo sim! haha

Nos veremos ano que vem 🙂 – e já viramos o ano com mais uma viagem pra Europa marcada, mais uma temporada de fotos da Echos ❤

 

Não vou simplesmente desejar “Feliz Ano Novo”…

Que façamos 2016 ser um ano melhor. Está nas nossas mãos! 😉

Encare as dificuldades como desafios e as derrotas como . Celebre as conquistas, por menores ou mais inesperadas que sejam.

E que na próxima virada do ano possamos ter essa sensação positiva, de mais metas alcançadas que largadas. Ou mais metas ajustadas que obrigadas. Viva mais vivida de verdade, sem perder tempo em causar impressões. E com amor em tudo que se for fazer e ser! ❤

Special Day!

Por que hoje é especial? Pois é aniversário do meu marido, o Lucas!

Sim, esse ano não podia acabar sem o aniversário dele, e já teve post pra Sugar, (vários!) pra mim, pra Lilly… E pra ele também tem que ter, claro!

Não vou falar sobre nossa história porque isso já teve no post de aniversário de casamento também, então… O que eu posso falar do Lucas?

Ele é uma pessoa impressionante. Nos conhecemos há quase 16 anos, e já vivemos muitas coisas nesse tempo todo.

Eu o vi mudar muito, e com certeza ele também me viu mudar.

Mas o mais legal é o quanto nós nos mudamos um ao outro! Não se muda o outro num relacionamento? Não, mas nós nos permitimos mudar pelo outro. E é aí que o negócio fica legal 🙂

Ele me motiva a querer ser melhor, a não parar no tempo. Ele me ensinou muita coisa que eu não sabia e coisa que eu sabia também, mas que atualizou e eu ia ficar sem saber, pois a vida adulta nos força a escolher em que áreas vamos focar. Da mesma forma, sempre aprende muito comigo!

Ele me aceitou mesmo sendo muito diferente do que ele foi ensinado a esperar de mim. E ele sempre se esforçou pra ser alguém melhor por mim também, e eu sempre tive muito orgulho dele, mesmo ele antes não acreditando no potencial que ele sempre teve, e hoje podemos ver os resultados.

Pensa em uma pessoa que se desconstruiu com os anos e hoje topa ser mente-aberta junto comigo. Me apoia nas minhas loucuras, e mesmo morrendo de medo, me filma quando eu pulo de um avião ou me jogo de um guindaste… hauheuhauhe

Me mostrou que eu posso aceitar muitas coisas que não mudam nada a nossa essência, e até aprendi a gostar.

E com certeza é um super sortudo por eu ser fã de rock e metal, video games, filmes e seriados! hahaha

Mas ele também é uma pessoa muito empenhada, por mais que muitos achem que ele não é responsável ou sério.

 

Meu bonitão!

Meu bonitão!

Então, o Lucas é esse aí! Brincalhão, que fala um monte de bobagens, a gente está sempre rindo e cantando besteiras nas músicas… Parceiro pra tudo!

Feliz aniversário, Baby! Parabéns pelos seus 29 anos!!

Esse ano foi muito especial! Foi sua primeira viagem internacional, e já foi insano! Foi o primeiro ano inteiro só de Echos, em que estamos apenas na Echos. Fizemos loucuras e elas deram certo, e vamos continuar fazendo 🙂

Me sinto muito privilegiada por estar compartilhando da sua vida! Sempre soube da imensa responsabilidade que seria essa nossa decisão de nos casarmos. É toda a nossa história que colocamos na mão do outro, que tem que pegar esse pacote pronto, entender, aceitar, e continuar dali, com a consciência de que agora, somos um time, e tudo que é de um, é do outro, e nos afeta mutuamente. Jamais imaginei que minha vida hoje seria como é, com você. Mas também não consigo imaginar nenhuma outra forma possível! ❤

Obrigada por tudo o que você já foi, pois fez quem você é hoje. E por quem você será, como eu já dizia… Obrigada também, pois eu já amo esse “você” do futuro!

Obrigada por ser uma pessoa tão especial, que não segue a onda da multidão e não vê problema algum em não ser como a maioria. Continue sendo sempre você, autêntico e querido!

I love you always!! Happy birthday!!

 

Lilosa <3

Como dito no último post, aqui vai!

Bom, dia 27.07.15 nossa Lilly, também conhecida como Lilosa (ou Lilosinha para nós) completou 9 anos.

Lilly 9 years old <3

Lilly 9 years old ❤

E ela é especial por tantos motivos… que vai ser difícil enumerar todos! Só pra escolher as fotos que postar aqui já está sendo difícil! (sim, ainda estou selecionando… hehe)

Aliás, parece até que estou escrevendo pra ela ler, porque não é muito fácil! hehe

Bom, a Lilly é do Rio Grande do Sul, onde o marido morou com os pais dele de 2006 até começo de 2008. Uma prima dele era tipo uma criadora de schnauzer, e estava com filhotinhos recém nascidos. Ele foi visitar, ela prometeu que daria um pra ele… e ela foi a escolhida!

Aí ele queria me perguntar uma sugestão de nome, mas como eu estava em Curitiba, acabaram escolhendo Lilly mesmo (pra por no pedigree – sim, ela tem! haha mas nunca nem vi…).

Acabou virando Lilosa o apelido, e ela era um filhote feliz e bagunceiro, como todo filhote é. Já comeu celular, controle de play station… hahaha

Mas um dia, o Lucas estava chamando a Lilly e nada dela aparecer. Quando ele foi procurar, ela estava deitada no chão, perto do portão da frente da casa, de olhos abertos, mas não se mexia. Do lado dela, um pedaço de pão. Ela havia sido envenenada – pela vizinha do lado, que reclamava dos latidos dela, mas o cachorro da própria vizinha latia muito mais…

Voaram pro hospital veterinário, o marido com a cadela mole nos braços, aos prantos, ela só tinha o reflexo do olho, nada mais reagia. 2 dias de internação soro, remédios, exames, gastos… mas ela sobreviveu e logo ficou firme e forte! Tinha por volta de 1 aninho ainda.

E assim ela foi se tornando a melhor amiga do meu marido que estava sem amigos lá em Porto Alegre, dormir na cama dele até… hehe até que se mudaram pra uma casa mais fora da cidade onde tinha um outro cachorro, aí os dois corriam o dia inteiro pelo terreno que era enorme! Ela sempre amou correr! E latir, claro. Numa dessas, latindo pros cavalos que passavam, que ela acabou se distraindo e se perdendo… em outra, ela caiu na piscina! haha Mas nada de grave aconteceu.

Em 2008 ele a família voltaram pro Paraná, e o marido foi morar sozinho em Curitiba e não pode levar a Lilosa com ele… ela ficou com os pais dele, mas que também não estavam conseguindo dar muita atenção. Aí ela foi pra minha casa! ❤ Foi quando tive meu primeiro contato com ela – já tinha visto pela web cam, ouvido o latido e chorinho dela, mas nunca ao vivo!

Mas aí minha mãe não queria que ela ficasse lá, porque ela chorava, latia, enfim. Aí conseguimos deixá-la na casa de uma amiga que tinha um quintalzão com outros bichinhos até resolvermos onde ela ficaria. Aí um irmão do Lucas, que estava na mesma cidade que os pais deles, se ofereceu pra ficar com ela, já que ele tinha quintal e uma filha de 3 anos na época.

Lá eles deixavam o portão aberto, claro que ela ia pra rua… E um vizinho tinha galinhas que pulavam o muro, aí CLARO que ela matava as galinhas, né? Estavam no quintal dela, oras! Schnauzers são caçadores, se o bicho aparecia na cara dela, fazer o que… haha

Topo de bolo do nosso casamento

Topo de bolo do nosso casamento

Nisso a gente já estava casado, mas ainda não consegíamos ter nossa Lilly na nossa casa – fizemos até nosso topo de bolo com ela junto! Ficamos todo esse tempo longe dela, pagando ração e banho e tosa. Nós fomos escolher um apartamento pra mudar em que o critério principal era poder ter cachorro, e finalmente, com 6 meses de casados, conseguimos achar! E a Lilosa foi morar conosco quando estava quase fazendo 4 anos!

Aí que começou toda nossa experiência com ela mesmo! Morando com um cachorro que só havia vivido em quintal em um apartamento não foi nem de lone complicado como imaginávamos. Ela é muito inteligente, e em 1 semana já tinha entendido o esquema de sair, e tivemos poucos acidentes sanitários dentro de casa, mas ainda por uns meses deixávamos jornal à disposição dela quando saíamos. Até percebermos que ela realmente podia ficar em casa sem nada, que ela nos pediria pra sair!

Brincamos muito com garrafas pet, que ela adorava, ela destruiu o tecido do sofá brincando nele, correndo, pulando, subindo pra olhar a janela – que ela também logo percebeu ser onde podia ver as pessoas, ou nós mesmos, saindo e chegando do portão.

Nós fomos também percebendo que ela era esperta com comida, e não podíamos deixar nada muito fácil, senão ela pegava mesmo! E nem coisas que ela pudesse escalar perto de janelas – uma vez levamos um susto ao sair de casa, olhamos pra trás e ela estava com a carinha na janela toda feliz… Detalhe, ela estava numa mesa, e a janela aberta!!!

E assim fomos, descobrimos tantas coisas sobre a convivência com um cachorro, e tantas vantagens, que aos poucos ela foi se tornando pra nós como uma filha mesmo! Vimos que ração com muito corante tinge até o xixi, e que ela começou a ter sal na urina (provável consequência do envenenamento, mas nenhum outro problema), vimos a importância de achar um bom veterinário que te dá atenção mesmo que por telefone, quando você está mais desesperado…

Teve um dia que ela comeu uma casquinha de pizza queimada, ou um caroço de azeitona, nunca soubemos. Mas foi a única coisa diferente que aconteceu. E ela ficou mal, molenga, não reagia, gengiva branca… Ligamos pra única veterinária que sabíamos na região, pois ainda não conhecíamos muita coisa por perto, e ela só queria falar alguma coisa se fossemos lá. Detalhe: era 17h30, ela fechava às 18h, cobrava a consulta só em dinheiro e nós só tínhamos cartão. Eu já estava chorando! Até que ela se compadeceu e disse pra darmos uma pitada de açúcar pra ver se subia a pressão e bem pouquinho de dipirona pra ver como ela reagia. E funcionou! Ela dormiu bastante, mas acordou novinha em folha!

Aprendemos também que não se testa coisa nova pra bicho, não sem referência e muito menos em cupom de desconto/compra coletiva! Uma vez fui experimentar uma promoção de banho e tosa de um pet shop que parecia até famosinho, mas eu não conhecia. Ela voltou muuuito desanimada, como se tivesse sido judiada, ou dopada, sei lá. Liguei no dia seguinte pra perguntar se havia acontecido algo, a dona me disse já um pouco alterada que se eu quisesse podia ver as câmeras do circuito interno. Eu disse que não, mas que não levaria mais lá, pois a experiência tinha sido péssima.

Logo encontramos o pet shop em que ela vai até hoje (e eles são os donos do pai da Sugar inclusive, uns fofos!) e eles nos indicaram a melhor veterinária que poderíamos achar, tudo pertinho também! Na época ainda não tínhamos carro, e eles cobravam o leva e tras bem barato. Sempre foi ótimo e não temos mais porque mudar!!

E eles tinham um schnauzer macho muuuuito lindo chamado Husty! E ele é o pai da nossa Sugar!

NOTA: Nós somos contra cruzar animais, pra vender, pra explorar. Sabemos que tem muito bichinho perdido, abandonado, sozinho, judiado por aí esperando ser salvo, ser adotado, ou apenas tentando sobreviver. Mas conscientemente tomamos a decisão de “tirar uma cópia” da Lilosa, pois queremos ter sempre alguém dela na nossa família.

Agora a Lilly, que já estava ficando humana demais, e sempre ansiosa, vomitando quando sozinha em casa, nunca mais ficou sozinha. Ela e a Sugar são inseparáveis, brincam juntas o tempo todo… a Lilosa até virou mais cachorro de novo! hehe Logo compramos um carro, e desde então levamos nossas duas meninas pra onde pudéssemos… e elas amam andar de carro!

Tivemos os episódios em que a Sugar ficou doente, mas também tivemos a cirurgia de castração da Lilly, em que ela ficou 24h internada, e voltou meio jururu, mas a Sugar cuidou muito bem dela. A Lilly até ficou mais espuleta depois da cirurgia, sério! Ela até hoje, com 9 anos, ainda tem mais pique que a Sugar!

Ano passado a Lilosa também teve um episódio que nos assustou muito, ela teve uma inflamação no intestino, nos acordou domingo às 7 da manhã (sempre nos piores horários! hehe) passando mal, e ligamos pra nossa super querida veterinária que nos atendeu prontamente e ficou com a Lilly em observação por 2 dias… Até ela ficar fora de risco e ter certeza de que não iria precisar de transfusão de snague. A Sugar ficou arrasada! Imagina… Não comia, só dormia…

Mas desde que ela teve esse problema temos que dar uma ração bem mais cara pra ela, pra evitar que renha de novo. É assim, faz parte. Elas já precisam de tão pouco, e nos dão tanta alegria…

Enfim… agora a Lilosinha está com 9 anos. Ainda super bem, mesmo sendo considerada em princípio de fase idosa, e dando sinais de começo de catarata. É, ela vai ficar cega, não tem como evitar. Mas enquanto ela não demonstrar que não está enxergando, está tudo bem. e mesmo depois vai ficar bem também, só vamos ter que tomar mais cuidado pra não tropeçarmos nela.

Aprendemos tanto com a ingenuidade e lealdade desses bichinhos… a Lilly nos mostra sua inteligência até hoje, ela aprende coisas novas, ela é carinhosa, quer estar com a gente sempre.

E ainda tivemos o privilégio de poder manter contato com a família que ficou com a irmã da Sugar, a Luna!

Bom, assim como foi difícil começar, está sendo terminar, mas… aqui fica um registro especial praquela que é a melhor cadela do mundo! ❤

E aqui alguns posts do meu antigo blog sobre a Lilly e as filhotes!

Dia dos pais de 2011

Babies part 1

Babies part 2

One more year together!

6 anos – 6 years

72 meses – 72 months

313 semanas – 313 weeks

2191 dias (pois teve ano bissexto no meio) – 2191 days (there was a leap year)

52560 horas… – 52560 hours…

E hoje o dia 25 de julho cai num sábado de novo, como naquele lindo e gelado dia em 2009.

Um dia que marca o começo de algo que já estava certo, e que já era pra ser.

Posso dizer oficialmente que te conheço há metade da minha vida!

Pode parecer pouco tempo pra alguns, muito tempo para outros… Pra nós, parece que o tempo voou! Mas também podemos ver o quanto já aproveitamos esse nosso tempo juntos.

6 anos dos quais raramente passamos mais de 24h seguidas longe um do outro. E sempre que isso aparece como possibilidade, nunca é bem vista!

Até hoje curtimos muito a companhia um do outro, até hoje damos valor pras pequenas e simples coisas (nem sempre da melhor forma, mas tudo geralmente se resolve! haha). Até hoje cozinhamos juntos, criamos e furamos rituais, discutimos e nos acertamos antes de dormir, nos conhecemos e nos mudamos. Temos sonhos novos, adaptamos os velhos. Aprendemos um com o outro e não temos vergonha de admitir. Aprendemos a rir de coisas que antes nos irritavam um no outro, a evitar coisas que podem virar problemas, a nos aceitar no que não tem muito como mudar.

Não nos escrevemos mais cartões, ou compramos presentes surpresa, mas não deixamos nada passar em branco. Tentamos comemorar nossa vida, mesmo sem dias específicos, ou fora deles. Mudamos de opinião. De cabelo. De gosto. De casa… Nos cuidamos, cuidamos das nossas coisas, da nossa vida, da nossa saúde.

Mesmo sem querer, fomos contra muitas opiniões, provamos que tínhamos potencial. Até hoje erramos e acertamos, mas sempre juntos. E temos muito mais resultados positivos que negativos!

Passamos muito sufoco, já desistimos ou pensamos em desistir de várias coisas, várias vezes… Mas no fundo temos um ao outro pras nos apoiar, nos reerguer, e continuar. Temos uma responsabilidade mútua com nosso amor e tudo o que já vivemos e construímos. E também com nossas filhas caninas! ❤

Por tudo isso tem valido a pena viver! Por esses 6 anos tudo valeu a pena, e que venham mais muitos como esses!

Dizemos que é apenas o começo até hoje… pode ser 25, 50 anos, vai ser sempre só o começo… Porque nunca saberemos quando será o meio ou o fim. Continuaremos assim, como se estivéssemos começando, todos os dias. E tem dado tudo certo! hehe

6 anos de vida juntos, de parceria, compartilhando muito mais que o mesmo espaço. As contas, os gastos, o trabalho, as alegrias, as conquistas, os planos. Bem clichê, talvez. Mas você é essencial pra mim. Meu melhor amigo, meu amor pra toda a vida, companheiro de lutas e glórias, de videogame, de brincadeiras, de trabalho, de música, de ideias… É impossível um existir sem o outro!

“Não te amo só por quem você é, mas principalmente por quem você será!” – frase antiga, mas que sempre será atual 😉

Já somos tão diferentes daqueles dois que se casaram há 6 anos atrás, mas o que importa é que nosso amor mudou e evoluiu conosco, e que aquele dia nos marcou pra sempre!

Muito obrigada por tudo! Por ter aceitado dividir sua jornada comigo, por ter entendido a responsa que é ter o coração de alguém na sua mão, mas também de dar seu coração pra essa pessoa!

Nunca vou conseguir falar o suficiente o quanto você é importante pra mim!

Happy Wedding Anniversary To Us!

Feliz aniversário pra nós!! I love you!! ❤

Bodas de açúcar ou perfume – não poderia ser melhor!

Fotos desse último ano juntos – viajamos, comemos, bebemos e fizemos muitas coisas!

Outros anos, comemorações, fotos, vídeos, posts… nas redes sociais por aí, e o que eu achar, posto aqui também!

3 anos, no outro blog

Vídeo lindo feito no ano passado ❤