Translation

Sobre Feminismo: Mas eu gosto de ser uma garota

Tradução do artigo nesse link.

 

Eu enviei para minha meia-irmã um link para o meu “Manifesto da Mãe Faminista“, o qual eu havia postado algumas semanas atrás e a resposta dela foi: Tenho orgulho de você, mas eu gosto de ser uma garota.

Este é o ponto crucial da negatividade das mulheres em relação ao feminismo. “Eu gosto de ser uma garota.”

Eu também amo ser mulher. Quando criança, eu gostava de “coisas de menina”, e eu não tenho vergonha disso. FEMINISMO NÃO SIGNIFICA QUE VOCÊ QUER SER HOMEM. Significa que está tudo bem em ser mulher ou em ser homem.


2014-10-03-Crane.jpg

Aqui está uma foto de uma prateleira no quarto dos meus meninos. Tem uma boneca bonita não sexualizada que você pode vestir com uma variedade de roupas. Tem um capacete de hockey. Tem um robô feito em casa com papelão, arame e fita adesiva. Se eu tivesse meninas, eu esperaria que a prateleira fosse basicamente do mesmo jeito. Feminismo significa que eu não acredito em brinquedos de menina ou de menino.

É divertido brincar com bonecas. Eu desejava uma boneca mais do que tudo. Minha mãe, inicialmente, negava, porque ela não queria me “treinar” para ser uma pequena dona de casa. Eu era uma garotinha muito teimosa, então eu fiz minha própria boneca com um lençol e um pacote de areia de gato. Foi aí que minha mãe mudou, e percebeu que cuidar de bebês não era algo específico de um só gênero. Por isso que meu filho mais novo tem uma boneca que fala tanto “Papai” quanto “Mamãe”.

Eu gostava até de bonecas Barbie. A casa dos sonhos da Barbie que minha amiga tinha estava na minha carta para o Papai Noel todos os anos (ele nunca respondeu). O problema que eu tenho com a Barbie são as proporções irrealísticas e a figura dramaticamente sexualizada.

Por que eles não fazem uma Barbie Playboy? Porque ela já é moldada para parecer uma coelhinha da Playboy.

A maioria das mulheres não tem peitos maiores que a própria cabeça. A maioria das mulheres não tem a cintura mais fina que o pescoço (sim, estou exagerando aqui, mas todos nós já vimos Barbies. Não estou tão longe.).

Como uma feminista eu não quero abolir as bonecas. O que eu quero são bonecas que se pareçam com pessoas reais. Feminismo significa que eu tenho um problema com o fato de que somente super-heroinas se pareçam com estrelas de filme pornô.

Algumas pessoas tem um problema com a nova campanha de marketing da Lego para garotas. Eu não sou contra legos cor-de-rosa. Eu com certeza teria brincado com lego muito mais se eles viessem (como hoje em dia) com peças rosas, roxas e com florzinhas. Eu sou contra rotular que isso é só para meninas. Feminismo é sobre não contar para meus filhos que rosa é só para meninas.

Feminismo significa que todos nós começamos com os mesmos direitos e expectativas no nascimento, e que isso não muda conforme nós crescemos. Significa que recursos para esportes para meninas são iguais aos que vão para os meninos.

Eu queria jogar hockey de campo mais do que tudo quando eu era criança, mas quando eu vi que a escola só de garotas onde eu estudava exigia que o time de hockey de campo usasse saias xadrez, eu senti o primeiro gosto da fúria feminista. Eu recusei tentar entrar no time. Meu protesto não mudou nada – só que eu não iria jogar hockey.

Vamos falar sobre líderes de torcida. Elas são atletas impressionantes. Eu gosto de vê-las competir nos encontros. Eu acho que líderes de torcida deveriam animar esportes de meninas bem como de meninos. Mas eu não acho que elas deveriam usar mini-saias para isso, porque elas são atletas, não símbolos sexuais. Usar saias curtas está tudo bem, mas não deveria ser exigido, especialmente quando não é nada prático. Ninguém deveria ver suas roupas de baixo, mesmo que sejam calções na cor do uniforme. Ninguém deveria ver as roupas de baixo dos meninos também, e o fato de que os uniformes deles escondem e os das meninas mostram, é um grande problema pra mim.

Eu não sou contra usar saias e saltos. Na verdade, eu gosto de usar saia quando está calor. Escolas com código de vestuário deveriam permitir que os meninos usassem bermudas se as meninas podem usar saias. Feminismo significa antissexismo, não anti-homens.

Como uma mulher, feminismo significa que eu posso usar saia ou calças para ir trabalhar e ser tratada de forma igual. Códigos de vestuário exigindo que mulheres usem saias, ou cultura de escritório que recompensa mulheres que usam saias me deixam furiosa.

Feminismo significa que se eu sou uma mão que fica em casa, eu ainda sou uma parceira igual no relacionamento e que minha contribuição para família é vista como válida. Meu marido não tem permissão de ditar o que eu posso ou não fazer. Eu sou tão adulta quanto um homem, e um pai é tão responsável pelos filhos quanto uma mãe. Trabalhos domésticos não são de um gênero específico. Eu sou capaz de tirar o lixo ou de cortar a grama.

Feminismo significa que se eu decido trabalhar, eu vou ter o mesmo salário que um homem que tenha o mesmo emprego. Que eu vou ter as mesmas ofertas de promoções. Significa que ser assertiva não é ser chamada de “vaca”.

Se eu vou para um bar usando saia e salto, o feminismo insiste que eu tenho o direito de não ter minha bunda agarrada por um estranho, ou pior. Tudo bem querer se sentir sexy. Mas não é tudo bem ser chamada de piranha ou vagabunda por isso. Nada que as mulheres vestem dá o direito a ninguém de denegri-las ou assediá-las.

Feminismo não significa que eu não quero ser uma garota, ou que eu não gosto de “coisas tradicionais de menina”. Feminismo significa que eu tenho a opção  de gostar ou não, e uma sociedade onde isso seja seguro.

Existe um segmento de mulheres que acham que o feminismo dá a elas permissão de agir como o pior tipo de homem chauvinista. Já vi mulheres agarrando os seios de outras em bares achando que está tudo bem, porque elas são mulheres. Já ouvi muitas mulheres denegrirem homens em nome do feminismo. Isso não é progresso. Feminismo é sobre respeito para todos.
Eu acredito em bons modos. Isso significa que se eu alcanço a porta primeiro, eu a abro e seguro para quem vier atrás. Isso significa que eu entendo que é minha obrigação pagar por coisas da mesma forma que o homem com quem estou saindo paga, e que é minha obrigação tratar meu namorado com a mesma consideração que mulheres geralmente esperam de um homem. Ser feminista não significa que eu não quero que alguém me envie flores, mas é entender que ambos deveríamos nos surpreender com gestos carinhosos.

(Eu já tive um colega de trabalho que recebeu da namorada uma cesta “de homem” com planta e umas poucas flores. Ele ficou tão constrangido que ele deu para a secretária dele. Por que homens não podem gostar de plantas ou – Deus o livre – flores?!)

É mais fácil dizer o que feminismo NÃO É:

Seu marido diz que você não tem permissão de ir trabalhar até as crianças estarem na escola.

Seu chefe é mais legal com você quendo você usa saia.

Seu colega de trabalho homem ganha 50 centavos a mais por hora para limpar o mesmo escritório que você.

Seu chefe te diz que fica desconfortável de contratar um assistente homem, porque isso seria difamador.

Seu chefe te contratar só porque você era a única candidata que não tinha filhos.

Sua empresa feminina de construção é contratada para um trabalho por causa do status de minoria, mas somente empresas só com homens fazem o trabalho e te mandam uma participação.

Você usa uma saia curta para ir a um bar e um homem estranho pega na sua bunda quando você está dançando com suas amigas.

Você anda pela rua e estranhos assobiam para você enquanto pegam em seus genitais e perguntam se “você quer um pouco disso”. Você não responde porque está com medo.

Não é sobre gostar de ser uma garota ou uma mulher. É sobre ambos os sexos serem valorizados e respeitados igualmente. É sobre o seu corpo não ser tão importante quanto seu cérebro.

Advertisements

Como Arruinar Sua Vida (Sem Nem Perceber Que Você Já Está)

Pra variar um pouco, vou postar um texto que eu traduzi há exatamente 1 mês.

Ele reflete bem como eu penso e condiz muito com o meu primeiro post aqui no blog.

Na verdade esse pensamentos GRITAM dentro da minha cabeça, e eu tento por em prática, só que vejo muita gente que lê esse tipo de texto e concorda, compartilha… mas vive se debatendo e nunca aplica na vida. Isso deve ser decisão de cada um, eu acredito. Não tem fórmula certa. Podemos discutir à respeito e trocar ideias sobre… que tal?

A mensagem é clara mas muito profunda. E como eu já disse quando traduzi, se esse texto fosse uma pessoa, eu passaria horas conversando com ele, pois tem muito que se refletir aqui 😉

Mas enfim, o link do original em inglês está AQUI.

E aqui vai a tradução:

Entenda que a vida não é uma linha reta.  A vida não é uma linha do tempo com marcos determinados. Está tudo bem se você não terminar a faculdade, se casar, encontrar um emprego que te sustente, ter uma família, ganhar dinheiro e viver confortavelmente até essa ou aquela idade. Tudo bem se você conseguir, mas contanto que você entenda que se você não tiver casado até os 25, ou se tornado vice-presidente até os 30 – ou até feliz, se for o caso – o mundo não vai condenar você. Você tem permissão de voltar atrás. Você tem permissão de descobrir o que te inspira. Você tem tempo pra isso, e geralmente se esquece. Nós escolhemos um curso superior mal saindo do ensino médio, porque ir direto pra universidade é a coisa certa a se fazer. Escolhemos um emprego mal saindo da universidade, mesmo que não tenhamos amado nosso curso, só porque investimos tempo nisso. Vamos para esse emprego todas as manhãs porque sentimos a necessidade de nos sustentar abundantemente. Nós tomamos o próximo passo, e o próximo passo, achando que estamos cumprindo uma lista de tarefas da vida, e um dia acordamos deprimidos.  Acordamos estressados. Nos sentimos sob pressão e não sabemos por quê. É assim que você arruina a sua vida.

Você arruina sua vida escolhendo a pessoa errada. Qual é a necessidade de acelerar os relacionamentos? Por que somos tão atraídos pela ideia de primeiro nos tornarmos “de alguém” do que “alguém”? Acredite quando eu digo que amor que surge de conveniência, que brota da necessidade de dormir ao lado de alguém, um amor que atende à nossa necessidade de atenção mais que paixão, é um amor que não vai te inspirar às 6 da manhã quando você virar pro lado e o abraçar. Lute para descobrir amor com fundações, aquele tipo de relacionamento que te motiva a ser uma pessoa melhor, o tipo de intimidade que é raro, ao invés de imediato. “Mas eu não quero ficar só”, geralmente exclamamos. Fique só. Coma só, saia com você mesmo, durma só. No meio disso tudo você vai aprender mais sobre você mesmo. Você vai crescer e vai descobrir o que te inspira, vai apurar seus próprios sonhos, suas crenças, sua mais brilhante clareza, e quando você encontrar a pessoa que faz suas células dançarem, você vai ter certeza disso porque terá certeza de si próprio. Espere por isso. Por favor, eu te imploro para esperar, e lutar por isso, e fazer um esforço por isso se já encontrou, porque é a coisa mais linda que seu coração vai experimentar.

Você arruina sua vida por deixar seu passado tomar conta. É comum que algumas coisas aconteçam com você. Vai ter decepção, confusão, dias em que você vai se sentir sem valor ou propósito. Vai ter aqueles momentos que vão te marcar, palavras que vão grudar. Você não pode deixar tudo isso te definir – foram simplesmente momentos, simplesmente palavras. Se você permitir cada coisa negativa na sua vida definir como você se encherga, você vai ver o mundo a sua volta de forma negativa também. Você vai perder oportunidades porque você não conseguiu aquela promoção 5 anos atrás, se convencendo de que você foi incopetente. Você vai perder afeição porque você concluiu que seu relacionamento anterior te deixou por você não ser bom o suficiente, e agora você não acredita que você seja mais a pessoa que você achava que era. É um ciclo, uma profecia que se cumpre por conta própria. Se você não se permitir superar o que já aconteceu, o que foi dito, o que foi sentido, você vai olhar para seu futuro com essas lentes, e nada vai ser capaz de romper esse julgamento. Você vai continuar justificando, revivendo e alimentando uma percepção que nem deveria ter existido, pra começar.

Você arruina sua vida quando compara a sua com a dos outros. A quantidade de seguidores no Instagram não aumenta ou diminui o seu valor. A quantidade de dinheiro na sua conta não influencia na sua compaixão, na sua inteligência, na sua felicidade. A pessoa que tiver o dobro de posses que você não tem o dobro de alegria, ou o dobro de mérito. A gente se prende no que nossos amigos estão curtindo, ou em quem nossos parceiros estão seguindo e no final das contas isso não só arruina nossas vidas, mas arruina a nós mesmos. Criando dentro de nós essa necessidade de se sentir importante e em muitos casos acabamos desapontando a outros pra alcançar isso.

Você arruina sua vida por se dessensibilizar. Nós temos medo de dizer demais, sentir com profundidade, falar para as pessoas o que elas significam pra nós. Se importar não significa ser louco. Expressar para alguém o quanto essa pessoa é especial pra você vai te tornar vulnerável, não dá pra negar. Contudo, não há nada que se envergonhar por isso. Há uma beleza de tirar o fôlego nesses momentos de pequenas mágicas que ocorrem quando somos transparentes e honestos com aqueles que são importantes para nós. Deixe aquela garota saber que ela a inspira. Diga para sua mãe que você a ama na frente dos seus amigos. Expresse, expresse, expresse. Se abra, não se endureça para o mundo, e seja corajoso sobre quem, e como, você ama. Existe coragem nisso.

Você arruina sua vida por tolerar. No fim das contas você deveria estar animado de estar vivo. Quando você se contenta com qualquer coisa aquém do que desejava desde o princípio, você destroi a possibilidade que vive dentro de você, e dessa forma você engana a você mesmo e ao mundo com relação ao seu potencial. O próximo Michelangelo pode estar sentado num computador agora, fazendo um boleto para clipes de papel, porque isso paga as contas, ou porque é confortável e tolerável. Não permita que isso aconteça com você. Não arruine sua vida desse jeito. Viver e trabalhar, e viver e amar não são opostos. Estão intimamente ligados. Nós temos que nos empenhar para fazer um trabalho extraordinário, e para encontrar um amor extraordinário. Só assim vamos nos esbarrar com uma vida extraordináriamente feliz.

choices